O Testamento de Adão |1| – Introdução

Encontramos o texto conhecido como O Testamento de Adão em várias línguas: aramaico, grego, etiópico, armênio, arábico e georgiano.

A versão em aramaico está distribuída em oito manuscritos datados como sendo do século IX ao XVIII. O texto está divido em três partes, ou fragmentos: um Horário (as horas do dia e da noite), que detalha como as criaturas adoram à Deus durante as 24 horas do dia; uma Profecia na forma de testamento de Adão para seu filho Set; e uma Hierarquia de seres divinos e suas funções, ou Angeologia. Tanto o Horário quanto a profecia ocorrem em três recensões (famílias de texto), enquanto que a Angeologia ocorre em apenas uma recensão.

A tabela a seguir mostra a relação entre as partes (fragmentos) e os manuscritos em que se encontram, e a recensão a que cada um pertence (adaptado de Kmosko [1907]):

Recensão Manuscrito Fragmento
Horário Profecia Hierarquia Celeste
I A Add. 14624 X X
B Vat. Syr. 58 X X
II C Vat. Syr. 164 X X X
D Add. 25815 X
III E Arund. Or. 53 X
F Vat. Syr. 159 X X

O texto aramaico do Testamento de Adão foi primeiramente editado por  Renan [1853], que colou os manuscritos B e C e traduziu para o francês, comparando ainda com o texto arábico. Whright [1865] editou o texto da Profecia de acordo com o manuscrito A. Todas as três recensões foram editadas e traduzidas para o latim por Kmosko [1907]. Budge [1927] traduziu para o inglês os fragmentos I e II, baseado provavelmente na recensão III. A edição mais recente do Testamento de Adão é a de Robinson [1982].

O texto dos fragmentos são apenas vagamente relacionados entre si, tendo sido escritos por autores diferentes em épocas distintas, e mais tarde reunidos sob o mesmo título. Além do título,  o Horário e a Profecia têm em comum o fato de serem palavras de Adão ao seu filho Set. A Hierarquia Celeste/Angeologia traz apenas no título a relação com o Testamento, sendo dirigida aos amigos.

Robinson [1982] conclui que o Horário é uma composição de origem judaica, a Profecia sendo um trabalho cristão, ou judaico fortemente interpolado com elementos cristãos e a Angeologia sendo de origem judaica com alguma interpolação cristã (in Collins [2008], nota 10 p. 327). Robinson [1982] ainda data a origem do texto como sendo do século III A.D. (in Jonge e Tromp [1997], p. 83)

A minha proposta aqui é traduzir para o português o texto da recensão II de Kmosko [1907], com ênfase, tanto quanto possível, no manuscrito A*, pois, apesar de ser o texto mais curto, é o que apresenta a maior parte dos fragmentos (não apresenta as Horas do Dia). Para as Horas do Dia, utilizei o texto da recensão I de Kmosko [1907].

*Tanto os textos de Kmosko quanto o de Renan mostram, nas notas de rodapé, as variações de cada manuscrito para o texto apresentado no corpo da página, sendo possível, portanto, dentro de um certo limite, reconstruir o texto do manuscrito desejado (Vat. Syr. 164).

Observação importante

Esta tradução obviamente não tem valor acadêmico, sendo simplesmente o resultado de meus estudos da língua aramaica e certamente contêm erros. Este texto aqui está para que o leitor de língua portuguesa possa ter uma idéia do seu conteúdo, devendo sempre procurar os textos e fontes originais citados na bibliografia.

Coloco junto a tradução para o latim de Kmosko [1907] da recensão II (baseada na colagem dos manuscritos C eD), para que o leitor possa ter acesso à uma tradução acadêmica. Sou pouco versado em latim, por isso esta tradução foi minimamente consultada por mim. E, enquanto Kmosko utilizou uma colagem de dois manuscritos (C e D), eu procurei utilizar a versão de apenas um (C), como explicado acima.

Bibliografia Citada

Budge, E. A. Wallis [1927]. Testamentum Adami. in: The Book of the Cave of Treasures, p. 242. London, The Religious Tract Society.

Collins, J.J. [2008]. Testaments. in: Jewish writings of the Second Temple period: Apocrypha, Pseudepigrapha, Qumran, sectarian writings, Philo, Josephus. Volume 2, Capítulo 8, p. 325.  Stone, Michael (ed.). Fortress Press. 697 pp. (o usuário deve usar um proxy anônimo para acessar uma visão parcial do livro no Google Books).

Jonge, Marinus de; Tromp, Johannes [1997]. The life of Adam and Eve and related literature. Continuum International Publishing Group. 104 pp.

Kmosko, Michael [1907]. Testamentum Patris Nostri Adam. in: Patrologia Syriaca, Pars Prima – Tomus Secundus; Graffin, René (ed.). Paris, Firmin-Didot.

Renan, Ernest [1853]. Fragments du Livre Gnostique Intitulé Apocalypse d’Adam, ou Pénitence d’Adam ou Testament d’Adam, publiés d’aprês deux versions syriaques. in: Journal Asiatique, Série 5 Tomus II (Julho-Dezembro), pp. 427-471.

Robinson, S. E. [1982]. The Testament of Adam: an examination of the Syriac and Greek traditions. Scholars Press. 196 pp.

Wright, William [1865]. Contributions to the Apocryphal Literature of the New Testament, pp. 61-63. London, Williams and Norgate. 67 + 70 pp.