O Evangelho de Marcos – Capítulo 4

O Evangelho de Marcos em aramaico, na versão Peshitta, traduzido para o português.

Palavras entre colchetes [ ] não ocorrem no texto aramaico, sendo acrescentadas na tradução para facilitar a leitura.

090 091 092 093

 

Abaixo, um vídeo com a pronúncia do texto aramaico:

Capítulo 4

1 Então, novamente começava a ensinar ao lado do mar. E foram reunidas até ele muitas multidões, de modo que embarcou [e] sentou em um barco no mar. E toda a multidão ficava em terra ao lado do mar. 2 E ensinava-os muito com parábolas, e dizia em seu ensinamento: 3 Ouçam: Eis que saiu o semeador para semear. 4 E quando semeou: há o que caiu ao lado da estrada, e veio o pássaro e o comeu. 5 Mas outro caiu sobre rocha, onde não havia muita terra, e naquela hora brotou, pois não havia profundidade de terra. 6 Então, quando o sol subiu, aqueceu, e por que não tinha raiz, secou. 7 E outro caiu entre espinhos, e subiram os espinhos e sufocaram-no, e frutos não deu. 8 Mas outro caiu sobre terra boa, e subiu e cresceu e deu frutos. Há o de trinta, e há o de sessenta e há o de cem. 9 E dizia: quem tem ouvidos para ouvir, ouça! 10 Então, quando ficaram sós, perguntaram-lhe, aqueles que [estavam] com ele junto com os doze dele, [sobre] aquela parábola. 11 E disse para eles Jesus: para vocês é dado saber o mistério do reino de Deus, mas para os de fora, tudo é [dito] em parábolas. 12 Assim, enquanto veem, verão e não verão, e enquanto ouvem, ouvirão e não entenderão, para não serem convertidos e lhes perdoados os seus pecados. 13 E disse-lhes: vocês não entendem esta parábola? E como entenderão todas as parábolas?

14 O semeador que semeou, a palavra semeou. 15 Mas estes ao lado da estrada: são estes em quem foi semeada a palavra. E depois que ouviram, logo veio Satanás e levou a palavra que foi semeada no coração deles. 16 E aqueles que sobre rocha foram semeados: Estes são os que, após ouvirem a palavra, logo, com alegria, a aceitaram. 17 E eles não têm raiz em si mesmos, mas são por um tempo. E quando ocorre a tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo se ofendem. 18 E aqueles que entre espinhos foram semeados, estes são os que ouviram a palavra 19 E o pensamento  deste mundo e a decepção da riqueza e além de outras paixões, entram, sufocam a palavra, e sem fruto fica. 20 E aqueles que em terra boa foram semeados, estes são os que ouviram a palavra e aceitaram, e deram frutos por trinta e por sessenta e por cem.

21 E disse para eles: Por acaso vem a lâmpada para em baixo de um alqueire ser colocada, ou em baixo da cama? Não é para sobre o candelabro ser colocada? 22 Pois não há algo que está escondido, que não será revelado. E nada há em segredo e não revelado. 23 Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça!

24 Cuidem o que vocês estão ouvindo: com aquela medida que vocês estão medindo, é medido para vocês, e é adicionado para vocês, por aqueles que ouvem. 25 Pois quem tem, ser-lhe-á dado, e quem não tem, também aquilo que tem ser-lhe-á levado. 26 E dizia: Assim é o Reino de Deus: como um homem que lança a semente na terra, 27 e vai dormir, e levanta de noite e de dia, e a semente cresce e alonga enquanto ele não percebe. 28 Pois a terra faz vir o fruto; e antes a planta, e depois dela a espiga. Então, finalmente, o trigo pronto na espiga. 29 Então, quando amadurece o fruto, logo vem a foice, pois chegou a colheita.

30 E disse: a que vamos comparar o Reino de Deus? E com qual parábola vamos compará-lo? 31 É como um grão de mostarda: quando este é plantado na terra, é a menor de todas as sementes da Terra. 32 E quando é plantada, sobe e é a maior de todas as ervas, e cria grandes ramos, de modo que a ave consegue aninhar-se em sua sombra.

33 Com parábolas como esta, falava com eles Jesus. Parábolas tais que conseguiam entender. 34 E sem parábolas não falava com eles. Mas para os discípulos dele, em particular, explicava todas as coisas. 35 E disse para eles neste dia, de tarde: vamos cruzar para a [outra] margem. 36 E deixaram a multidão, e conduziram-no enquanto estava no barco. E outros barcos estavam com eles. 37 E houve grande tempestade e vento, e ondas estavam caindo no barco, e estava quase cheio. 38 Mas ele, Jesus, estava dormindo sobre um travesseiro na extremidade do barco. E vieram acordá-lo e disseram-lhe: Raban, não te preocupas que nós perecemos? 39 E [ele] levantou e repreendeu o vento e disse para o mar: Pare! Cala-te! E o vento aquietou, e houve grande calmaria. 40 E disse para eles: Por que estão assim temerosos? E por que não há fé em vocês? 41 E temeram com grande temor, e diziam um ao outro: quem é este, que o vento e o mar o obedecem?